sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Casa vazia

Tenho me sentido um tanto vazia. Sensação de ninguém em casa mesmo. 'To nem aí',  mas também nao estou nem aqui.

'A separação é longa demais quando você está distante' (Música árabe que nunca mais achei)



terça-feira, 16 de setembro de 2014

Verdes águas

Ontem, felizmente, pude ouvir histórias contadas pelos lábios familiares da minha tia Cida. Dos equívocos pensados e não falados: 'É óbvio que os lábios da tia paterna são familiares!' Esclareço de pronto. Nos distanciamos fisicamente quando eu tinha 9 anos, eu acho. Acho porque não tenho certeza. Óbvio assim? Óbvio assim. Criança não faz muita questão de guardar. A criança aqui, naquela época, só queria viver. Enquanto ela falava com voz aconchegante, enxerguei meu reflexo infantil no verde água dos seus olhos, igualmente familiares. Voltei a mim quando senti as semelhanças tateadas durante esses 20 e poucos anos. E percebi-me distante na terra, tão próxima nos sonhos.

Voltei ao Meu Rio.